História das artes

terça-feira, 24 de março de 2009 1 comentários

Da pre-historia...

A pintura do PERÍODO PALEOLÍTICO SUPERIOR, a primeira manifestação artística do ser humano, na visão dos historiadores, era feita com substâncias minerais dissolvidas em água, gorduras animais e vegetais e aplicadas com as mãos e arremedos de pincel.
Depois de atravessar o MESOLÍTICO, transição entre o lascar e o polir a pedra, o homem, que aprendera a desenhar, pintar e esculpir, continua a sua arte. No PERÍODO NEOLÍTICO, para sua sobrevivência, deixou de ser exclusivamente caçador e pescador, para tornar-se agricultor e criador. A sua crença não é mais dominada pela magia, mas acredita na alma e estiliza a sua arte
A ARTE EGÍPCIA, submissa a um governo teocrata,
é sintética, abstratizante e obedece a Lei da Frontalidade.
Enquanto a ARTE GREGA, adquire acentuada expressão figurativa,
numa concepção matemática da beleza da forma.
Com o advento do Cristianismo nasce a simbólica PRIMITIVA PINTURA CRISTÃ,
que vem da obscuridade e do temor das catacumbas.
Enquanto o seu braço oriental aARTE BIZANTINA expressa-se por majestosos mosaicos,
feitos de pequenos cubos de pedra, as teselas.

Na ARTE GÓTICA coloridíssimos vitrais filtram a luminosidade para o interior das igrejas. As iluminuras - ornamentos que enfeitavam as letras capitulares na ilustração de livros e pergaminhos - evoluem para pequenos quadros de cavalete. No final deste período, artistas considerados pré-renascentistas distinguem-se pela progressiva libertação do convencionalismo bizantino.

No RENASCIMENTO os pintores já se valem da Tinta a Óleo que permite uma pintura de modelatos como o Esfumatto deLeonardo da Vinci, aumentando consideravelmente a naturalidade das forma anatômicas enquanto que os cenários e a natureza de uma forma geral, ainda que representados com grande rigor científico, sofrem alterações e acomodações feitas pelo artista que os pinta em seu atelier, agora com telas e cavaletes que ajudaram na difusão das correntes estéticas uma vez que permitiram uma circulação mais fácil das obras.

  • Intimamente ligado à Contra Reforma, o BARROCO procura comover o espectador. São usados violentos contrastes de sombra e luz para obtenção de intensos efeitos expressivos, dramáticos, grandiloqüentes.
  • Eminentemente francês o ROCOCÓ, corruptela da palavra rocaille, concha, que é usada como um dos seus mais característicos elementos decorativos, expressa uma vida ociosa e requintada, o espírito galante e fútil da nobreza européia no sec. XVIII.
  • No ROMANTISMO os artistas participaram de lutas sociais, colocando-se como líderes da humanidade. Motivado pela fantasia e pela imaginação o artista tende a idealizar vários temas, tratando-os segundo sua ótica pessoal.A dramatização da pintura pela composição em diagonal foi uma forte característica pictórica do período.
Recebendo um grande impulso da com a revolução de 1848 e a proclamação da II República da França, o interesse pela vida real e o compromisso com as questões sociais que já tinham sensibilizado os românticos encontram a sua representação no REALISMO .O artista do Realismo quer despertar o público para a realidade do mundo à sua volta e ser verdadeiro com o que observa.
Para os realistas, os acontecimentos vulgares, a vida cotidiana, as pessoas simples eram as questões mais interessantes.
O grupo de paisagistas franceses reunidos na Escola de Barbizon, a partir de 1830, usava sistematicamente a observação direta da natureza como recurso para as cenas que produziam.A intimidade e o convívio com a natureza nos arredores de Fontainebleau sinalizam a recusa do grupo pelo artificialismo da vida urbana. No PLENAIRISME A renovação estilística empreendida pelo impressionismo encontra suas matrizes nos trabalhos precursores de Turner e Constable, nos artistas da Escola de Barbizon e nas paisagens de Corot e Courbet, partidários de novas formas de registro da natureza.

No IMPRESSIONISMO, a pintura é realizada plenamente ao ar livre, o que provoca uma alteração radical nas representações da natureza: A suspensão dos contornos e dos claro-escuros em prol de pinceladas fragmentadas e justapostas, assim como o aproveitamento máximo da luminosidade e o uso de cores complementares.

O PONTILHISMO ou NEO-IMPRESSINISMO, como também é conhecido, originou-se da preocupação de alguns artistas de introduzir na arte Impressionista o rigor da Ciência, através de um estudo minucioso dos fenômenos óticos. A LEI DOS CONTRASTES SIMULTÂNEOS ( Chevreul, 1839) formou a base para as pesquisas do grupo.Impõe-se então uma divisão entre:IMPRESSIONISTAS ROMÂNTICOS x IMPRESSIONISTAS CIENTÍFICOS.
O SIMBOLISMO aparece aqui impregnado de uma tristeza pungente, transfigurando o mundo com uma nostalgia de sonho e mistério.

Considerada a 1ª Grande Revolução Artística do sec. XX, o FAUVISMO ou FOVISMO, inspirou-se no grupo NABIS - "Os profetas" e levou a liberdade de cores até a completa transposição. A simplificação de formas em padrões amplos e a pureza cromática determinaram o "sintetismo" do período. O " cloisonnisme" (alveolismo) fechava as figuras com um traço negro.

Paralelamente, exprimindo mais uma tendência do que um período propriamente dito, pois extrapola ao seu tempo, o EXPRESSIONISMO acentua a violência espontânea em reação às pesquisas estéticas do Impressionismo.A autonomia plástica, a deformação do estilo e o individualismo dos criadores é levado aos limites da loucura

Entre os anos de 1907 e 1914 acontece então uma revolução estética tanto na pintura como na escultura - O CUBISMO.O ponto de partida deste novo movimernto foi o desejo de cirar uma arte concebida pela inteligência.No CUBISMO ANALÍTICO domina a análise extrema, a exclusão de perspectivas e a adoção de um mundo monocromático.

Entre 1912-1913, as cores se acentuam e a ênfase dos experimentos é colocada sobre a recomposição dos objetos. O CUBISMO SINTÉTICO tende a criar imagens que são verdadeiros sinais coloridos.À austeridade sucede a alegria e a embriaguez do jogo.Elementos heterogêneos - recortes de jornais, pedaços madeira, cartas de baralho, caracteres tipográficos, entre outros - são agregados à superfície das telas, dando origem às famosas colagens, amplamente utilizadas a partir de então.

O cubismo teve prolongamentos e retomadas por quase meio século.
Vários movimentos surgiram com base na nova estética, entre eles o ORFISMO, termo utilizado por Apollinaire querendo significar "jogos líricos". O dinamismo das cores e o contraste simultâneo, praticados sistemáticamente por Delaunay e outros artistas jovens já indica a formação do Abstracionismo na Europa.

Afirmando a primazia da velocidade, o FUTURISMO surge buscando a sensação dinâmica como tal.Violentamente polêmico, pretendendo abolir a arte do passado e pedindo a destruição dos museus exerceu forte influência, mais pela retórica do que pelas próprias obras.

A criação do Cabaré Voltaire, em Zurique, 1916, inaugura oficialmente o dadaísmo. Ao contrário de outras correntes artísticas, o DADAISMO apresenta-se como um movimento de crítica cultural mais ampla, que interpela não somente as artes mas modelos culturais, passados e presentes. Trata-se de um movimento radical de contestação de valores que utilizou variados canais de expressão: revistas, manifestos, exposições, entre outros.

A importância do mundo onírico, do irracional e do inconsciente, anunciada já no texto inaugural do SURREALISMO se relaciona diretamente ao uso livre que os artistas fazem da obra de Sigmund Freud (1856-1939) e da psicanálise, permitindo-lhes explorar nas artes o imaginário.Mobiliza diferentes modalidades artísticas: escultura, literatura, pintura, fotografia, artes gráficas e cinema.

O SUPREMATISMO está diretamente ligado ao seu criador, Malevich, e às pesquisas formais levadas a cabo pelas vanguardas russas do começo do século.Rompe com a idéia de imitação da natureza, com as formas ilusionistas, com a luz e cor naturalistas e com qualquer referência ao mundo objetivo.

O NEOPLASTICISMO, abaixo, defendia uma total limpeza espacial para a pintura, reduzindo-a a seus elementos mais puros e buscando suas características mais próprias.

O MATERISMO nos propõe a contemplação e a reflexão, mais do que sobre a beleza, sobre a verdade: sobre a tensão dramática dos materiais do mundo.A ênfase da pesquisa recai preferencialmente sobre a matéria criando o que ficou conhecido também por TEXTUROLOGIA. De forte apelo ao tato - utilizam em suas pinturas, materiais pouco convencionais como cordas, papel, pó de mármore, etc. Destaca-se a consciência do valor da matéria por si mesma: a matéria, sua estrutura, seus acidentes, suas transformações é o autêntico tema da obra.

O Expressionismo Abstrato chega ao seu auge na pintura de ação de Jackson Pollock:ACTION PAINTING. Descartada a noção de composição a obra é concebida como fruto de uma relação corporal do artista com a pintura, resultado do encontro entre o gesto do autor e o material.

Décadas antes de Warhol e Lichtenstein, Richard Hamilton virava a mesa da arte, oferecendo ao popular e cotidiano um lugar nas galerias e museus. É a POP ART ou novo realismo, com uma linguagem figurativa inspirada em objetos do quotidiano, utilizando processos técnicos mecânicos ou semi-mecânicos como a fotografia, a cópia xerox ( xerografia) e a serigrafia.

Embora inspirada na Arte Cinética, a OP ART desenvolve os seus estudos exclusivamente em representações de duas dimensões. Investigou as possibilidades dos efeitos ópticos que davam sensação de movimento. Esses efeitos eram promovidos por determinadas combinações de cor e de intervalos entre as linhas.


A arte contemporânea, vigente até os dias de hoje, engloba uma pluralidade de movimentos e linguagens, que convivem paralelamente, todos especialmente reflexivos. Além da diversidade de propostas, as linguagens são diferentes entre si e, por vezes, contraditórias, evidenciando o caráter individualista. Antes, a arte moderna, que envolvia discussões coletivas, dialogava com o material plástico, interagia com ele - agora, a arte passa a dialogar com o pensamento plástico, a idéia da arte, tornando-se mais intelectualizada e hermética para o público. Do espectador exige-se maior atenção e um olhar que pensa. Ao artista cabe o pensar arte, inventar / reinventar arte, criticar arte.
A MINIMAL ART ou MINIMALISMO, extremamente reflexivo, fez uma recusa ao comercialismo. Os artistas passam a trabalhar com estruturas de grandes dimensões, fugindo da escala humana. A intenção era de denunciar que aquele objeto, inserido naquele lugar, era uma idéia estética, não um fato estético. As obras não valem por si próprias, mas apenas no contexto em que estiverem inseridas. A FORMA é, mais do que em qualquer momento da história da arte, mais importante que o CONTEÚDO.

Contra a idéia de plano e projeto, assim como de uma tendência a pensar a história da arte como evolução linear, a TRANSVANGUARDA quebra as hierarquias entre diferentes linguagens, entre "alta" e a "baixa" cultura, não conferindo privilégio a nenhum estilo e recuperando, inclusive, perspectivas descartadas. As obras tendem à fragmentação e à combinação, algo eclética, de distintas referências.

A arte se renova a cada obra, para no futuro contar a HISTÓRIA!

1 comentários:

  • Jota Pê_The disse...

    Putzxa, você manja bem no que se propõe a fazer aqui; gostei de acessar o blogue!
    Vamos trocar msn para flertar idéias, ser normais juntos nas horas vagas antes do ato insano!
    Estou farto destes artistas de modista que vem e vão por esta Teresina, PI.
    (P.S.:Te vi no Blogueiros do Piauí)

468x60

testee

tempo. pra que?

 

©Copyright 2011 Aula Psicodélica | TNB